domingo, 21 de novembro de 2010

Primeiro passo: só as prostitutas têm autorização para se proteger do HIV

"O Papa Bento XVI mantém que não considera o preservativo “uma solução verdadeira e moral”, mas admite a sua utilização em casos concretos: “Num ou noutro caso, embora seja utilizado para diminuir o risco de contágio, o preservativo pode ser um primeiro passo na direcção de uma sexualidade vivida de outro modo, mais humana.”

A afirmação do Papa surge no livro Luz do Mundo, uma entrevista ao jornalista alemão Peter Seewald, que será publicado terça-feira em Itália e vários outros países. Dia 2 de Dezembro estara à venda em Portugal (ed. Lucerna/Principia). O livro aborda temas como a pedofilia, o celibato dos padres, a ordenação das mulheres e a relação com o Islão, entre outros, o Papa Bento XVI cita o uso de preservativos por prostitutas.

“Pode haver casos isolados, como quando prostitutas utilizam um preservativo. Isso pode ser um primeiro passo para uma moralização, o início da tomada de consciência de que nem tudo é permitido e de que não podemos fazer tudo o que queremos”, afirmou o Papa. “Mas este não é o caminho para se vencer a infecção do HIV. 

Até agora, o Vaticano bania todas as formas de contracepção, além da abstinência, mesmo como prevenção de doenças sexualmente transmissíveis.



Daqui.

3 comentários:

Joh disse...

é um primeiro passo sem dúvida, que finalmente foi dado. ;)

S* disse...

Já está a ganhar juízo...

Sex na Cidade disse...

=) vamos lá ver vamos